Havai:A única Monarquia anexada pelos EUA, grupo monarquico toma o Palácio Real em Agosto de 2008

28-06-2010 10:18
O arquipélago que forma o Havaí é conhecido historicamente como Ilhas Sandwich. E era povoado por polinésios, governado por chefes polinésios até 1810, quando Kamehameha I centralizou o governo do arquipélago e instituiu uma monarquia. Portanto, aqui está a primeira grande curiosidade acerca do Havaí: é o único Estado americano que já foi uma monarquia e o Palácio Iolani é o único edificio dentro dos EUA que já foi Residência Real .
Projectado pelo Rei Kalākaua ,o edifício ficou concluído em 1882, teve electricidade e telefones mesmo antes da Casa Branca e serviu como residência oficial do soberano do Havai até ao derrube da monarquia, em 1893.

Photobucket
(Palácio Iolani)

Agora os havaianos fizeram um novo movimento no jogo de xadrez em que transformou o movimento separatista dos Estados Unidos. Um grupo de havaianos nativos que luta pela independência do arquipélago tomou posse do único palácio real da nação e das terras do Estado que a circundam.

A autodeterminação do "Hawaiian Kingdom Government" levou algumas dezenas de separatistas a ocupar o palácio Iolani, no centro de Honolulu. Transformado em museu, o palácio ficou dois dias fechados para a visitação dos turistas na semana passada. Foi reaberto sem incidentes, mas o grupo ficou acampado nos jardins da construção.

Mais de uma dúzia de grupos lutam pela independência da população nativa dos Estados Unidos, mas cada um deles tem uma visão diferente de como alcançar esse objetivo.

Photobucket

“Esse é um dos principais problemas, mesmo entre todos que apóiam a independência. Nos falta unidade e sabemos disso”, disse ao jornal Kekuni Blaisdell, professor aposentado que luta pela independência havaiana há 24 anos.

Site Monarquico Havaiano

http://www.hawaiiankingdom.org/index.shtml

Alguns querem a devolução das terras da monarquia para que o governo do arquipélago possa gerir-las da melhor forma, vendê-las inclusive. Outros acham que essas propriedades pertencem aos havaianos nativos. O dilema jurídico já chegou à Suprema Corte.

O grupo reivindica a retomada do governo norte-americano de mais de 1 milhão de acres das ilhas havaianas. Segundo eles, a terra foi apreendida de forma ilegal depois da derrota da monarquia havaiana em 1893, 11 anos após a construção do palácio.

Photobucket



(5 de Maio de 2008)



Um grupo de Havaianos nativos ocuparam o Paço da antiga monarquia havaiana ,antiga residência real, na passada quarta-feira (5 de Maio de 2008), juraram ficar para ficar e fazer o governo do Reino.

Photobucket
(Mahealani Kahau dá conferência de imprensa)



"É através de um reino maior do que o nosso" que o grupo tomou esta acção, disse Mahealani Kahau, eleita líder do grupo, chamado Governo Real Havaiano. "Hoje, todos os dias, nós estaremos aqui para assumir o nosso papel."

Mahealani Kahau, disse ao New York Times: “Estamos aqui e não vamos mais sair”.
Kahau disse que o Hawaiian Kingdom Government, que já elegeu ministros e alega ter regsitrados alguns milhares de havaianos nativos e não-havaianos como seus cidadãos, planeja instalar seu gabinete no palácio Iolani. “O prédio não nos transforma em reino havaiano”, ela disse. “Somos nós que o fazemos.”

O grupo é um dos vários que rejeita o Regime (Statehood) e procura o regresso à monarquia constitucional que efectivamente terminou em 1893 quando um grupo de políticos, empresários e plantadores de açúcar - ajudados pelo ministro dos E.U. A. para o Havaí - derrubou o governo do reino.

Photobucket



Os grupos monarquicos reclamam que o reino foi derrubado e anexado de forma ilegal nos Estados Unidos.

O gabinete do procurador-geral não respondeu imediatamente uma chamada telefónica que procurava um comentário á acção de quarta feira.

Os funcionários do Iolani Palace, construído em 1882 e que agora funciona como um museu, encerraram o edifício aos visitantes. Os 60manifestantes ocuparam assim o edificio, bloquearam os portões de entrada e estacionaram os guardas lá para explicar aos visitantes o objectivo da acção.

O grupo mais tarde reabriu as portas, mas permaneceu dentro do edifício ,que foi mantido fechado.

"entristece o meu coração ter de afastar visitantes", declarou uma funcionária do palácio, Cindy Ascencio, que acrescentou que, embora ela seja uma nativa havaiana, ela não compreende as acções do grupo. Ascencio também disse que o grupo parecia pacífico e que não estavam preocupados com a segurança.

"Quisemos vir aqui justamente porque desejamos aprender alguma coisa sobre a história do Havaí , da última rainha e da monarquia", disse Carrion,um turista de Porto Rico (outro território anexado pelos EUA em 1898), disse ainda ter reservas para a visita. "Mas nós partimos de amanhã, por isso não vamos chegar a tempo para ver o palácio".

Carrion também disse que "de certa forma compreendia" as acções do grupo.

Porto Rico e Havaí, juntamente com as Filipinas e Guam, foram anexadas em 1898 pelos Estados Unidos depois da guerra hispano-americana. Guam e Porto Rico permaneceram territórios dos Estados Unidos. A independência das Filipinas veio após a Segunda Guerra Mundial, Havaí tornou-se o 50º estado dos EUA em 1959.

Apesar de a monarquia não ter sido derrubada até 1893, foi efectivamente o seu destino selado seis anos antes, quando o mesmo grupo que derrubou a monarquia impós pela força das armas uma nova Constituição ao rei David Kalakaua, que foi forçado a assinar

O documento reduziu drasticamente a autoridade da monarquia e instituiu requisitos eleitorais que limitaram a votação a havaiano ricos empresários e proprietários de terras, o barramento a 75 por cento da população nativa havaiano e de todos os asiáticos o direito ao sufrágio.

Quando Rainha Lili'uokalani ascendeu ao trono depois da morte de seu irmão em 1891, começou a trabalhar numa nova constituição que teria efetivamente invertido o documento de 1887. Com a ajuda de John L. Stevens, o ministro dos EUA para o Havaí, o grupo elite que havia mudado a constituição em 1887 opôs-se ás acções da rainha.

Dois anos depois, sob a ameaça de tropas dos EUA , ela rendeu autoridade, dizendo: "Até ao momento em que o governo dos Estados Unidos ... desfazer a acção do seu representante, e reintegrar-me-a a autoridade que eu, reclamo como soberana Constitucional das ilhas havaianas. "

A rainha foi presa mais tarde no Iolani Palace durante oito meses, pela a sua participação na revolta de 1895, até que ela renunciou a sua reivindicação ao trono em troca de sua libertação. Ela morreu em 1917 com 79 anos de idade.

Em 1993, o Congresso dos EUA aprovou, e o presidente Bill Clinton assinou, um pedido de desculpas ao povo do arquipélago havaiano. O documento

Photobucket
(bandeira da monarquia Havaiana)



"reconhece que o derrube do reino do Havaí ocorreu com a participação activa dos agentes e dos cidadãos dos Estados Unidos e reconhece ainda que o povo nativo havaiano nunca directamente renunciaram aos EUA as suas reivindicações sobre a sua inerente soberania ,como um povo sobre suas terras nacionais, quer através do reino do Havaí ou através de um plebiscito ou referendo. "

Apesar de ter sido usado como um banco de governo durante décadas depois do reinado de Lili'uokalani , o palácio caiu em degradação. Quando o último dos gabinetes governamentais foi transferido para novas instalações adjacentes ao palácio, em 1969, começou a trabalhar na restauração do edificio, posteriormente aberto ao público em 1978.

[url=http://pt.wikipedia.org/wiki/Pal%C3%A1cio_'Iolani]SABER MAIS[/url]

fonte:
http://edition.cnn.com/2008/US/04/30/palace.takeover/

http://www.hawaiireporter.com/story.aspx?f66e6f6d-8e2a-40b0-b687-174fb9ca9ba3